quinta-feira, 19 de Fevereiro de 2009

O Palhaço geométrico

Era uma vez um círculo grande que vivia no Jardim das Formas Geométricas, mas sentia-se muito triste e só. Um dia cansado de não fazer nada começou a chorar. Perto dele viviam outros dois círculos que costumavam brincar juntos, e ao ouvir alguém chorar, resolveram procurar quem estaria assim tão triste.
Ah! exclamam admirados: - Olha um círculo como nós, mas maior.
-Oh Amigo, precisa de ajuda?
-Nem queiram saber, se preciso, claro que preciso. Não sei o que hei-de fazer, estou para aqui, ninguém quer saber de mim.
-Não diga isso, que não é nada verdade. Cá estamos nós para ajudar. Vamos dar um salto e vamos ficar sempre contigo e seremos os teus olhos, disseram os círculos pequeninos.
-Mesmo assim, ainda estou triste, só tenho olhos, e continuo a chorar.
Também por ali brincava um quadrado que preocupado com o choro que ouvia, logo tentou ajudar, e ao ver o circulo grande tão triste perguntou:
-Que se passa? Porque choras tu?
-Oh então tu não percebes? Só tenho olhos, respondeu o circulo grande.
-Ai é por isso que estás tão triste? Não te preocupes que eu fico todo contente por te ajudar. Queres que eu seja o teu nariz?, perguntou o quadrado
- Estás a brincar? , disse o o círculo.
-Não é a sério, até vais conseguir respirar e tudo..., disse o quadrado
-Pois, mas ainda me falta a boca. Até aqui percebes-me só pela expressão do meu olhar, mas do que eu gostava era de falar mesmo de verdade.
Parecia magia, se calhar era por ser Carnaval. Por ali passava também um rectângulo todo vaidoso, com os seus quatro lados, iguais dois a dois e disse:
-Pareceu-me ouvir alguém dizer que precisava de uma boca?!! Pois cá estou eu prontinho para me transformar eu boca. Quem quer?
-Quero eu, quero eu, disse logo o círculo grande, e logo rectângulo se transformou numa grande boca.
Mas ainda não estava contente, sentia que lhe faltava alguma coisa. Seria o cabelo?Contente por já ter encontrado tantos amigos, olhou em redor e viu umas outras formas ainda desconhecidas andarem por ali pelo jardim a passear.
-Oh amigos; quem são vocês, que ainda não vos conheço? perguntou
-Nós somos os triângulos, porquê, precisas de nós para alguma coisa?
-Claro que sim, disse logo o nosso amigo Círculo, não querem ser o meu cabelo?
-O teu cabelo...olha até devia ser engraçado, passear na tua cabeça, andar ao vento. Conta connosco. Vamos já colarmo-nos à tua cabeça.
Contentes foram todos passear pelo jardim das Formas. Estava um dia bonito, cheio de sol, quentinho...até que de repente o quadrado nariz começou a espirrar: Atchim...atchim,
-Ah estou constipado, disse o círculo, que já não era círculo, mas uma cara...e agora?
-Agora, olha, cá estou para te ajudar, disse um triângulo grande. Queres que seja o teu chapéu para te proteger do sol?
-Que bom, tantos amigos, agora já posso continuar o meu passeio aqui pelo jardim, até parece que tenho cara de uma pessoa.
Continuaram o seu passeio lá pelo seu Jardim, eis senão quando de repente, viram uma loja que na montra tinha um espelho. Admirado, parou e disse: Ah!!!!!olha que giro que eu sou. Afinal sou um Palhaço, mas um Palhaço especial: sou o Palhaço Geométrico.
De dentro da montra ouviram-se ainda umas vozes que lhe perguntaram:
- Queres ficar ainda mais bonito? Pois bem. Vamos fazer-te uma surpresa. Fecha os olhos. Da montra saltaram dois triângulos e um círculo, juntaram-se, formaram um bonito laçarote, e então sim o nosso Palhaço Geométrico passou a ser O Palhaço Geométrico Vaidoso.






Sem comentários: